Professores avaliam Curso de Atualização

IMG_1865O professor Rui Yudi Sato Pereira, 34, trabalha há seis anos no CEE José Bonifácio, em Itaquera. Ele é graduado em Educação Física pela Universidade da Cidade de São Paulo (2001) e pós-graduado em Personal Training pelas Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU). Além disso, fez Nutrição na Universidade Guarulhos (2010). Segundo Rui, o Curso de Atualização em Pedagogia do Esporte pode ser considerado uma ótima oportunidade para a troca de experiências entre os professores da SEME e da SME; estudo e criação de portfólio de trabalho como ferramenta de permanente avaliação dos processos de ensino e aprendizagem; e aplicação de novas metodologias de trabalho nos ambientes de equipamentos esportivos da Prefeitura. “Temos agora um resposta ampla da Prefeitura no sentido de que estamos trabalhando de acordo com a melhor orientação e técnicas a favor da prática esportiva entre os cidadãos de São Paulo”, destaca. Rui trabalha com alunos de seis a 16 anos de idade, no futsal e com a turma da terceira idade, com ginástica geral.

IMG_1881 A professora Edna Camilo de Lira Souza, 41, enxerga na nova proposta pedagógica do Programa Clube Escola várias possibilidades de renovar e inovar o trabalho que realiza junto a crianças, adolescentes e idosos no CEE Arthur Friedenreich, na Vila Alpina. Edna é formada pela Universidade Mogi das Cruzes (UMC), em 1996, e pós-graduada pela FMU em Educação Física Escolar, em 2005. Ela destaca que gostou muito das aulas sobre a família das Atividades Gímnico-acrobáticas e das propostas de avaliação que conheceu durante as aulas de Esportes Aquáticos. “Estamos estudando e refletindo sobre o desenvolvimento de habilidades e de novas competências e, neste conteúdo do Curso, sempre identificamos que as práticas esportivas têm que ser motivadoras e também motivadas pela inclusão social de todos”, explica. Edna trabalha em turmas que praticam alongamento, voleibol, iniciação esportiva, futsal e condicionamento físico.

Osvaldo Santos de LimaCom mais de 150 alunos, nas modalidades de futsal, ginástica para terceira idade e basquete, o professor Osvaldo Santos Lima, 41, precisa planejar suas aulas para um público de seis a 88 anos de idade. Graduado pela USJT, em 2002, e pós-graduado em Treinamento Desportivo, pela Unifesp, em 2010, Osvaldo reforça a ideia de que o intercâmbio de conhecimento entre professores e a busca permanente de atualização dos conhecimentos são ferramentas estratégicas para o cumprimento do objetivo da Prefeitura de São Paulo, que tem fomentado a atração de mais cidadãos aos equipamentos municipais esportivos. “Os consultores contratados pela SEME/Ecole têm acompanhado o desenvolvimento do nosso trabalho in loco, o que também nos incentiva a aplicar mais esses conhecimentos na prática do dia a dia”, afirma. “Gostei muito das aulas sobre esportes radicais e quero implantar essas atividades no CEE Thomaz Mazzoni , na Vila Maria”, completa.

IMG_1904A experiência de trabalho de quase 20 anos no CEE Alfredo Inácio Trindade, no Jardim Paulista, confere ao professor Luiz Carlos Catoia, 56, a condição de ser uma das referências em se tratando de ensino de práticas esportivas nos Centro Educacionais e Esportivos da SEME. Graduado pela Faculdade de Educação Física Clube Náutico, em 1980, e pós-graduado em Natação, Musculação e Atividades para Deficientes Respiratórios, Luiz Carlos tem hoje 450 alunos, de seis a 12 anos, praticando futsal, e a turma da terceira idade, em que o aluno mais idoso tem 79 anos. “Este curso de atualização é importante para que os professores tenham condições de encarar novos desafios e práticas que vão surgindo. Gostei muito da visão ministrada pela professora Meico. Faz cinco anos que não dou aulas de natação, mas agora estou mais motivado para voltar a ensinar essa modalidade”, observa.

IMG_1909A professora Solange Menzel, 48, trabalha na Coordenadoria de Gestão das Políticas e Programas de Esporte e Lazer (CGPE) da Secretaria de Esportes, Lazer e Recreação. Solange é formada pela Universidade de Santo Amaro – Unisa, em 1985, e pós-graduada em Fisiologia pela Escola Paulista de Medicina (89) e em Natação pelas Faculdades Integradas Santo André – Fefisa (95). Ela avalia que o Curso de Atualização em Pedagogia do Esporte promovido pela SEME nasceu de uma indicação de necessidade dos professores da rede pública. “Este Curso é bastante abrangente e traz uma visão importante compartilhada pela Prefeitura de São Paulo e UNESCO sobre os pilares da Educação, que precisa ser incorporada também às metodologias de ensino dos esportes. Estamos avançando na qualificação dos nossos professores e queremos oferecer ainda mais oportunidades como esta, também com a realização de oficinas e clínicas sobre temas ainda mais específicos”, diz.

roberto_yokomizo

Crédito foto: Natália Yokomizo

Roberto Yokomizo, 49, professor e carateca, é gestor local da SEME e tem a missão de acompanhar o trabalho desenvolvido por 10 outros professores de Educação Física e as atividades realizadas junto às comunidades de Curuçá, Cidade Tiradentes, Teotônio Vilela, Manchester, Tatuapé e Jardim Noêmia. Roberto destaca que o Curso está promovendo maior segurança aos professores, quando aplicam o conhecimento adquirido. “O Curso tem validado o que os professores estão desenvolvendo nos CEEs e nos CDCs, permitindo ainda um novo olhar, de acordo com a experiência profissional e a formação de cada um”, observa. Roberto é graduado pela UniCastelo (98) e pós-graduado em Caratê, na Universidade Santa Cecília (UniSanta), e em Marketing Esportivo, pela Gama Filho.

Texto e imagens: Fernando F. Ferreira

Professores mergulham na aula de Esportes Aquáticos

As aulas téorica e prática da família dos Esportes Aquáticos Individuais e Coletivos foram realizadas na segunda-feira, dia 23 de setembro, na Universidade São Judas Tadeu. Nem o frio impediu que os alunos do Curso de Atualização em Pedagogia do Esporte caíssem na piscina da USJT.

As modalidades dos Esportes Aquáticos envolvem natação, saltos, nado sincronizado e polo aquático. Autora do Guia dos Esportes Aquáticos e uma das consultoras do Curso, a professora Meico Fugita repassou aos alunos os fundamentos das modalidades aquáticas, destacando várias atividades que promovem a adaptação a esse meio e que servem de base para todas as modalidades.

Materiais alternativos que podem ser usados e até construídos pelos iniciantes nos esportes aquáticos também foram apresentados. Segundo a professora Meico, o objetivo desses materiais é permitir um melhor planejamento das aulas, de forma lúdica, que desperte o interesse dos praticantes e que não deixe de fora da água os alunos que possuem deficiências físicas ou outras dificuldades.

A coordenação pedagógica do Projeto SEME/UNESCO é da professora Sheila Silva, do Espaço do Conhecimento de Lazer e Esporte/SEME. O Curso tem a participação de professores de Educação Física e Esporte da SEME, SME e gestores regionais e locais. Estão em fase de revisão e diagramação seis Guias Didáticos de Famílias Esportivas e o Documento Norteador da Proposta Pedagógica do Programa Clube Escola.

A participação dos professores/alunos da Turma B foi positiva, embora os professores tenham sentido um pouco o cansaço por terem participado, durante todo o fim de semana, da maior Virada Esportiva já realizada pela Prefeitura de São Paulo, por meio da SEME. Confira na matéria acima a opinião de professores sobre o andamento do Curso.

Confira mais fotos, clicando aqui.

Professora Sheila Silva relembra importância das políticas públicas de Esporte

IMG_1169Um discurso preparado para comemorar em conjunto o reconhecimento de profissionais da categoria, em homenagem recebida na Assembleia Legislativa de São Paulo, mas sem perder a oportunidade de fazer considerações a respeito da valorização profissional da categoria e de todos os servidores públicos que têm um compromisso permanente de prestar serviços de qualidade à população de São Paulo. Assim pode ser resumida a mensagem deixada pela coordenadora do Ecole, professora Sheila Silva, que foi convidada a desempenhar o papel de oradora durante a realização da sessão de homenagens aos Educadores Físicos promovida pela Comissão de Assuntos Esportivos da Alesp. O evento foi realizado nesta segunda-feira, dia 16, por iniciativa do presidente da Comissão, Leandro do KLB, no plenário Juscelino Kubitschek da Alesp e contou também com a participação do secretário de Esportes, Lazer e Recreação do Município de São Paulo, Celso Jatene.

A seguir, destacamos alguns trechos do pronunciamento da professora Sheila Silva:

AGRADECIMENTOS AOS COLEGAS

“Sinto-me honrada em participar desta cerimônia ao lado de reconhecidos colegas de profissão. Sem desmerecer os demais cujos nomes não serão citados, não posso deixar de mencionar o quanto me alegra estar ao lado da companheira de serviço público municipal – Profa Maria Alice Zimmerman; do professor Walter Roberto Correia com quem já tive a oportunidade de dividir a condução de frutíferas aulas quando trabalhávamos no UNIFIEO e de quem fui orientadora do trabalho de especialização sobre Planejamento participativo, um tema inovador na Educação Física na década de 1990; e, em especial, por estar ao lado do professor Hudson Ventura Teixeira, pelo que ele representa no mundo profissional da Educação Física, e por quem já declarei publicamente o meu amor fraterno, respeito e admiração pelo ser humano que é, como diria um amigo meu nordestino: “um ser humano da miló qualidade!””

VISÃO HOLÍSTICA DO ESPORTE

“No Documento que norteia a proposta do Clube Escola no qual vimos trabalhando na Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Recreação de São Paulo em cooperação com a UNESCO escrevemos que = É preciso considerar que uma mesma pessoa pode ter mais do que uma finalidade para se dedicar ao esporte, e que essas finalidades podem mudar ao longo de sua vida.[…] Há que se ter cuidado com as interpretações dadas a essa divisão, pois podem reforçar um olhar fragmentado e reducionista sobre o esporte com o qual não concordamos. Esse olhar fragmentado se percebe quando alguém afirma que o esporte só é educacional se não tiver competição; ou então que o esporte de rendimento é contrário à iniciação esportiva; que só a iniciação esportiva promove o desenvolvimento integral dos praticantes; que o esporte só tem um lado, o da mercantilização e da exploração pela sociedade capitalista. Percebe-se que esses olhares são falsos e enviesados.”

NOVA PROPOSTA PEDAGÓGICA

“É mais do que sabido que o mover-se na prática esportiva exercita a imaginação, a percepção, a capacidade de expressão e de interpretação, proporciona inúmeras oportunidades para que se aprenda a analisar, avaliar uma situação e a tomar decisões, e também proporciona ricas oportunidades para aprender habilidades necessárias à conciliação, à cooperação, à autossuperação, entre outras. Nos textos que vimos produzindo para melhor fundamentar a prática pedagógica do Programa Clube Escola escrevemos que: O esporte pode oferecer um palco rico para que cada criança, cada jovem, construa experiências significativas para seu desenvolvimento. […] Está na raiz do esporte a necessidade de inovar, superar, fazer diferente, buscar excelência, com maestria. Mas nada disso vem fácil a quem se lança no esporte porque nele há também os obstáculos, os desafios, a rotina, a repetição sistemática, a necessidade de perseverar, de seguir adiante mesmo face a face com a adversidade, com os erros e os fracassos. Tais ingredientes estão presentes no esporte de alto rendimento (campeonatos nacionais, mundiais, por exemplo) ou no esporte que acontece ali na esquina, numa quadra da comunidade, no campo de terra. Os elementos de drama e de alegria, de superação e maestria, estão tanto lá – nas arenas esportivas midiáticas – como cá – nos campos do dia-a-dia.”

MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DE POLÍTICAS

“Resultados esportivos não são expressos apenas em títulos, troféus e medalhas. Resultados de políticas públicas são aqueles detectáveis nas práticas de monitoramento que ocorrem ao longo de todo o processo com base em metas observáveis em curto prazo. Impactos na vida das pessoas – mudanças visíveis passado um espaço de tempo maior, entre um ano ou mais – são detectáveis por meio de avaliação. Para que a prática do monitoramento e avaliação passem a ser a regra e não as exceções na gestão pública do esporte, é preciso que os Planos Plurianuais sejam bem elaborados e respeitados – que haja pontos que caracterizem políticas de Estado sobre as quais a alternância de governos não exerça poder de destruição.Aliada ao planejamento, monitoramento e avaliação de políticas públicas do esporte, vem a necessidade da criação de mecanismos mais eficazes de transparência pública do que aqueles com os quais contamos atualmente. Mais do que saber o salário do servidor público; mais do que saber qual foi o voto de um parlamentar; o povo precisa ter acesso aos planos plurianuais, às metas definidas, precisa saber como são avaliadas, por quem são avaliadas, as justificativas para o caso de não serem alcançadas nos prazos previstos, quem são as pessoas responsáveis pelo planejamento, implantação e monitoramento dos programas e eventos. Nesse sentido, não são suficientes os portais de Internet criados pelos órgãos públicos por várias razões: porque a população ainda não está habituada a consultá-los; porque é difícil chegar à informação que realmente interessa; e porque o povo trabalha tanto e perde tanto tempo em seus deslocamentos pela cidade que não consegue acompanhar o que se divulga nesses portais. Daí a necessidade da imprensa popularizar, fazer este tipo de informação chegar aos cidadãos por meio dos jornais e tabloides distribuídos nos cruzamentos, no transporte coletivo, pelos sistemas de áudio e vídeo presentes no transporte coletivo, entre outros.”

PROXIMIDADE COM INSTITUIÇÕES DE ENSINO E PESQUISA

“É evidente que além de estimular a implantação de uma cultura de acompanhamento e avaliação de resultados de políticas públicas, são necessárias ações que aproximem as universidades dos organismos públicos, já que, nas sábias palavras do educador Paulo Freire: A teoria sem a prática vira ‘verbalismo’, assim como a prática sem teoria, vira ativismo. No entanto, quando se une a prática com a teoria tem-se a práxis, a ação criadora e modificadora da realidade. Essas ações de aproximação tanto podem se traduzir em programas de bolsas de estudo para que servidores públicos frequentem cursos de pós-graduação e pesquisem políticas públicas, como podem se concretizar no formato de incentivos financeiros para que cursos de pós-graduação reconhecidos estejam em permanente contato com o serviço público realizando pesquisas que diagnostiquem problemas, identifiquem barreiras, e, principalmente, proponham soluções.”

IMG_1181

Educadores Físicos recebem homenagem da ALESP no dia 16

convite_alesp

A coordenadora do Ecole, professora Sheila Aparecida Pereira dos Santos Silva, apresenta a palestra “O Papel do Esporte nas Várias Dimensões do Desenvolvimento Humano”, na próxima segunda-feira, dia 16, às 10h, quando a Assembleia Legislativa de São Paulo promove sessão solene em homenagem aos Educadores Físicos. A professora Sheila Silva e diversos outros colegas serão agraciados com medalhas de reconhecimento pela destacada atuação e representatividade desta categoria profissional. A iniciativa das homenagens na ALESP é do deputado presidente da Comissão de Assuntos Desportivos, Leandro do KLB. Segundo Leandro, a missão do profissional de Educação Física é fundamental para que o esporte seja uma fonte para a transformação da juventude e estímulo à cidadania. “A prática esportiva cria perspectivas positivas para os jovens e reduz ou elimina os riscos de envolvimento com a criminalidade”, ressalta. 

Conheça quem são os agraciados pela ALESP na homenagem ao Educador Físico:

Georgios Stylianos Hatzidakis
Douglas Vieira
Go Tani
Maria Alice Zimmermann
Mauzler Paulinete
José Antonio Martins Fernandes
Sheila Aparecida Pereira dos Santos Silva
Hudson Ventura Teixeira
Walter Giro Giordano
Nestor Públio
Luiz Delphino
Alexandre Traverzim
Eduardo Pacheco e Chaves
Walter Roberto Correia